A curva dupla de adoção do Bitcoin

O tema da adoção do Bitcoin é um tema de extrema relevância, especialmente porque todo mundo que começa a entrar na toca do coelho tem a sensação de que “eu já perdi o trem”. O Explica Bitcoin já publicou outra tradução sobre o tema baseada no trabalho do Croesus que pode ser vista aqui. No entanto, eu encontrei dois artigos ainda mais aprofundados sobre o tema do autor Michael Levin e decidi traduzir eles também para complementar as informações sobre o tema. Os dois artigos originais do Michael Levin podem ser lidos aqui (parte 1) e aqui (parte 2), e estão traduzidos na íntegra no texto abaixo. 

Tradução por Leta.

A Curva Dupla de adoção do Bitcoin (parte 1)

A adoção do Bitcoin é um dos desenvolvimentos mais fascinantes da última década. Para os críticos mal informados, o Bitcoin apresenta uma evolução confusa. Independentemente da confusão, a adoção do Bitcoin pode ser explicada pela compreensão de suas curvas de adoção dupla: o ativo Bitcoin e a rede Bitcoin.

Nesta peça, a Parte 1 de uma série de duas partes, o autor (Michael Levin) explica as curvas de adoção dupla do Bitcoin no contexto da teoria da Difusão de Inovações. Em seguida, na Parte 2, ele mergulha no momento de “cruzar o abismo” que se aproxima rapidamente e coloca uma hipótese sobre a superpotência do Bitcoin cruzando o abismo.

A reação humana à inovação

A ascensão da humanidade à sua posição privilegiada na hierarquia das espécies é diretamente atribuível à sua capacidade de aproveitar as matérias-primas para construir tecnologias inovadoras. Do fogo à roda, o poder da invenção humana pavimentou o caminho para a mais alta qualidade de vida para qualquer espécie na história do mundo. Dado esse contexto evolutivo, não é surpreendente que a humanidade pareça obcecada com a próxima novidade, a inovação tecnológica de ponta. Frequentemente, essa obsessão se transforma em especulação e mania enquanto os humanos tentam imaginar e antecipar o futuro. Mas, independentemente dos ciclos especulativos, o uso de inovações de alta tecnologia segue uma curva de adoção previsível e transparente que pode levar à adoção convencional ou irrelevância.

Nos últimos doze anos, o Bitcoin conquistou a imaginação da humanidade. A história do Bitcoin é talvez mais tentadora do que qualquer inovação de alta tecnologia anterior. Ele traz inovação de ponta para uma das camadas fundamentais da humanidade: o dinheiro. Dado o potencial de revolucionar esse conceito fundamental, o Bitcoin passou por vários ciclos especulativos em sua breve história. No entanto, seria um erro grave usar esses ciclos como motivo para descartar o Bitcoin. Esses ciclos são um fenômeno psicológico bem compreendido causado pela paixão da humanidade com a coisa nova. Além disso, qualquer ênfase exagerada nas bolhas simplesmente perde a floresta para as árvores. Como, em apenas 12 anos, o Bitcoin cresceu para 135 milhões de usuários em todo o mundo com uma taxa de adoção mais rápida do que a da internet, telefones celulares ou ferramentas de banco virtual (ou seja, PayPal) em períodos de tempo comparáveis. Em sua taxa de adoção atual, o Bitcoin alcançará 1 bilhão de usuários em 4 anos. Apesar da disseminação do medo, o Bitcoin, como todas as tecnologias inovadoras anteriores, está seguindo uma curva de adoção previsível e transparente, embora em um ritmo acelerado.

Adoção da internet e do Bitcoin. Crescimento estimado para os próximos 4 anos (2021-2025) baseada na taxa de crescimento atual. 

A Teoria da Difusão das Inovações

Em 1962, Everett Rogers propôs a Teoria da Difusão de Inovações, que busca explicar “como”, “por que” e “a que taxa” as novas ideias e tecnologias se espalham. A teoria explica como, com o tempo, um produto ou tecnologia ganha impulso e se espalha entre uma população específica. O resultado final é que as pessoas adotam um produto, tecnologia ou ideia. Uma das principais conclusões foi que a adoção de uma nova tecnologia em uma população não ocorre simultaneamente. Em vez disso, certas pessoas e grupos são mais propensos a adotar tecnologias em momentos diferentes que correspondem a perfis psicológicos e sociais específicos. Existem cinco categorias de adotantes estabelecidas para novas ideias ou produtos. Essas categorias são definidas abaixo (definições extraídas diretamente daqui)

Curva de Adoção da Teoria da Difusão das Inovações

1 – Inovadores: “Os inovadores são aventureiros e estão dispostos a correr riscos. Eles querem, fundamentalmente, ser os primeiros a experimentar coisas novas. Seu objetivo é explorar novas tecnologias ou inovações e encontrar oportunidades para ser um agente de mudança.”

2 – Primeiros usuários (early adopters): “Assim que os benefícios de uma nova inovação começarem a se tornar aparentes, os primeiros usuários entrarão em ação. Os primeiros usuários compram uma nova tecnologia para alcançar um avanço revolucionário que lhes dará uma vantagem competitiva dramática em seu setor. Eles adoram obter vantagem sobre seus colegas e parecem ter tempo e dinheiro para investir. ”

3 – Maioria inicial (early majority): “A maioria inicial predominante normalmente valoriza inovações que resolvem um problema específico. Eles procuram produtos completos que são totalmente testados, aderem aos padrões da indústria e são usados por outras pessoas que conhecem em seu setor. Eles estão procurando maneiras incrementais e comprovadas de fazer o que já fazem”.

4 – Maioria tardia (late majority): “A maioria tardia é avessa ao risco e só adota inovações para evitar o constrangimento de ser deixada para trás.”

5 – Retardatários (laggards): “Retardatários resistem até o fim. Eles valorizam os métodos tradicionais de fazer as coisas e se recusam a adotar uma nova tecnologia até que sejam forçados a isso devido à obsolescência de seu sistema anterior. ”

Curvas de adoção dupla do Bitcoin

Ao avaliar o Bitcoin dentro desta estrutura de curva de adoção estabelecida, é importante primeiro reconhecer e diferenciar as curvas de adoção dupla que impulsionam a adoção geral do Bitcoin. Essas duas curvas podem ser resumidas como: o ativo Bitcoin e a rede Bitcoin.

O ativo Bitcoin: refere-se ao componente de armazenamento de valor do Bitcoin. O ativo Bitcoin é um investimento com a tese subjacente de que o Bitcoin se tornará uma reserva global de valor semelhante ao ouro. Uma variedade de fatores torna o Bitcoin uma reserva global potencial extraordinária de valor, incluindo, mas não se limitando a, sua durabilidade, escassez e verificabilidade. Mas, alguns argumentariam que o Bitcoin ainda não provou ser uma reserva de valor por um longo período de tempo (veja a história estabelecida). Portanto, o Bitcoin, o ativo, é um investimento na crença de que acabará se tornando uma reserva global de valor.

Características da reserva de valor do Bitcoin do caso bullish (altista) do Bitcoin

A rede Bitcoin: refere-se ao meio de componente de troca do Bitcoin. A rede Bitcoin permite um dinheiro ou moeda nativa da Internet. Os fatores que fazem a rede Bitcoin ter um incrível potencial de dinheiro ou moeda são diferentes dos fatores que o tornam uma atraente reserva de valor. A rede Bitcoin permite dinheiro global, sem permissão e programável para qualquer pessoa conectada à Internet. Esse caso de uso de dinheiro ou meio de troca depende parcialmente da força do ativo Bitcoin. Mas, as duas tecnologias e curvas de adoção ainda são independentes.

Dada a importância das reservas de valor e dinheiro ao longo da história da humanidade, sua criação e evolução foram amplamente estudadas. Vijay Boyapati em The Bullish Case for Bitcoin e Nick Szabo em Shelling Out: The Origins of Money falam sobre esse processo. Já no século 19, em seu livro Money and the Mechanism of Exchange, William Stanley Jevons explicou: “Historicamente falando… o ouro parece ter servido, em primeiro lugar, como uma mercadoria valiosa para fins ornamentais; em segundo lugar, como riqueza armazenada; em terceiro lugar, como meio de troca; e, por último, como uma medida de valor ”

Para explicar melhor como o dinheiro evolui, podemos extrair diretamente da explicação de Vijay em The Bullish Case for Bitcoin … “Usando a terminologia moderna, o dinheiro sempre evolui nas quatro fases seguintes:

  1. Colecionáveis: no primeiro estágio de sua evolução, o dinheiro será exigido apenas com base em suas propriedades peculiares, geralmente tornando-se um capricho de seu possuidor. Conchas, contas e ouro eram todos colecionáveis antes de mais tarde fazer a transição para os papéis mais familiares do dinheiro.
  2. Reserva de valor: uma vez que é exigido por um número suficiente de pessoas por suas peculiaridades, o dinheiro será reconhecido como um meio de manter e armazenar valor ao longo do tempo. À medida que um bem se torna mais amplamente reconhecido como uma reserva de valor adequada, seu poder de compra aumentará à medida que mais pessoas o exigirem para esse fim. O poder de compra de uma reserva de valor acabará se estabilizando quando for amplamente mantida e o fluxo de novas pessoas desejando-a como reserva de valor diminuirá.
  3. Meio de troca: quando o dinheiro estiver totalmente estabelecido como reserva de valor, seu poder de compra se estabilizará. Tendo estabilizado o poder de compra, o custo de oportunidade de usar dinheiro para concluir negociações diminuirá a um nível em que seja adequado para uso como meio de troca.
  4. Unidade de conta: quando o dinheiro é amplamente utilizado como meio de troca, os bens serão avaliados em função dele. Ou seja, a relação de troca em relação ao dinheiro estará disponível para a maioria dos bens.”

Dentro dessa estrutura de evolução de ativos monetários proposta, o Bitcoin parece estar claramente mudando do status de colecionável para uma reserva de valor mais aceita. Postula-se que, no passado, essas fases monetárias ocorriam de forma cronológica e consecutiva, em que um ativo não se movia da reserva de valor para o meio de troca até completar totalmente sua curva de adoção de reserva de valor. 

Por quê? A hipótese acima é que as pessoas não queriam gastar uma reserva crescente de valor até que ela se estabilizasse, porque estariam perdendo valor. Embora seja uma explicação totalmente razoável, pode não explicar o fenômeno inteiramente.

Outro fator que pode ter contribuído pode ter sido que, durante a adoção do ouro, as comunicações disponíveis e a tecnologia de transporte eram caras, lentas e limitadas pela geografia. Assim, as fases de adoção monetária foram severamente restringidas pelo movimento por meio de audiências homogêneas em um ritmo lento. Nesse processo, você pode imaginar que certas pessoas dentro de uma família nuclear começaram a coletar ouro. Então, eles convencem o resto de sua família, que então convence sua tribo, que empurra o resto da cidade, depois a região, a nação e assim por diante. Dentro desse processo, uma nova reserva de valor, como qualquer nova tecnologia, passa pela curva de adoção de inovadores e adotantes iniciais, mas é severamente restringida pela localidade. Limitada por custo, velocidade e geografia, a reserva de adoção de valor se move entre grupos geograficamente semelhantes em um ritmo de lesma. Dado o lento processo de adoção local, esses adotantes iniciais provavelmente tinham necessidades e ideias monetárias extraordinariamente semelhantes. Essa homogeneidade de pensamento pode ter contribuído para o caso de uso limitado de apenas uma reserva de valor por um longo período de tempo, o que forçou as curvas de adoção a se desdobrar cronologicamente.

Por outro lado, hoje a tecnologia de comunicações e transporte é exatamente o oposto: grátis, instantânea e global. Em vez de ser limitado a uma adoção lenta restrita localmente, o Bitcoin pode mover-se por sua curva de adoção em escala global. O Bitcoin pode ser adotado por qualquer pessoa, em qualquer lugar com conexão à Internet. Assim, o Bitcoin poderia seguir um caminho de adoção monetária diferente em comparação com exemplos históricos. Dada sua curva de adoção global, os adotantes terão diferentes necessidades ou ideias sobre o Bitcoin. Pode ser adotado por investidores que acreditam na tese de que se tornará uma reserva global de valor. E, à medida que mais investidores adotam o ativo Bitcoin, ele também pode ser adotado como dinheiro melhor programável por públicos com necessidades socioeconômicas, geográficas ou empresariais específicas.

No geral, o ativo Bitcoin e a rede Bitcoin são curvas de adoção de tecnologia distintas, mas interconectadas. Ambos têm estados finais muito importantes e ambiciosos. Para o Bitcoin, o ativo, o estado final é Bitcoin como uma reserva global de valor. Para a rede Bitcoin, o estado final é Bitcoin como um dinheiro nativo da Internet global. Conforme discutido acima, essas curvas de adoção não precisam ser necessariamente consecutivas e cronológicas como o exemplo histórico do ouro. Em vez disso, essas duas curvas de adoção podem ocorrer simultaneamente com o ativo Bitcoin, dando início ao processo de adoção que ajuda o Bitcoin, a rede, a enviar e receber valor. Conforme ilustrado abaixo, em vez de curvas de adoção consecutivas sem sobreposição, essas curvas parecem mais ondas interconectadas para empurrar umas às outras e a adoção geral de Bitcoin para frente. Além disso, a curva geral de adoção do Bitcoin está atingindo um momento crítico. E, a interação dessas duas curvas será crítica para que o Bitcoin alcance o mainstream.

A curva dupla de adoção do Bitcoin

O Estado Atual da Adoção de Bitcoin

O ativo Bitcoin fica na primeira parte da curva S de adoção. Dependendo de qual mercado-alvo é usado como denominador, existem pequenas diferenças em onde exatamente ele se encontra atualmente nesta curva. Para simplificar, vamos usar ~ 135 milhões de usuários Bitcoin atuais. E então, apenas para o ativo Bitcoin, vamos começar com o método de Croseus, que analisa o número de pessoas que têm algum dinheiro para armazenar ou investir em Bitcoin. Ele usa 2,2 bilhões de pessoas, que é o número de pessoas no mundo com $ 10.000 de patrimônio líquido. Dado esse denominador, o Bitcoin, o ativo, tem uma taxa de penetração atual de 6,1% ou está no segmento de adoção inicial da curva de adoção. Porém, um número significativamente menor de pessoas globalmente realmente investe ativamente. O número de investidores em todo o mundo é difícil de ser estimado. Nos EUA, 52% das famílias têm exposição direta ou indireta ao mercado de ações. Os EUA são reconhecidos como tendo a maior proporção do mundo. Mas, apenas para ser conservador, vamos apenas adicionar aquele número de 52% em toda a população mundial de 2,2 bilhões com US $ 10 mil para investir, o que nos dá 1,14 bilhão de pessoas. Dado esse denominador base conservador de investidores, o ativo Bitcoin, está situado a uma taxa de adoção de 11,8% ou à beira da maioria inicial.

Para a rede Bitcoin, o denominador é mais difícil de escolher. Mas, no estágio final ideal, qualquer pessoa com uma conexão à Internet pode e deve usar um dinheiro melhor. Portanto, usaremos um mercado-alvo mais agressivo, o número total de usuários ativos da Internet, 4,66 bilhões. Para o numerador, para simplificar, manteremos o número de ~ 135 milhões. Seria melhor se pudéssemos diferenciar entre os usuários que estão investindo no ativo e os que estão comprando para usar como dinheiro. Porque, é provável que, neste ponto, a maioria desses usuários esteja investindo em Bitcoin como um ativo, ainda não o usando como dinheiro, mas é terrivelmente difícil de diferenciar com alguma confiabilidade (mais sobre isso mais tarde). Com esse denominador, a rede Bitcoin tem uma taxa de penetração de 2,8% ou bem em torno do segmento inovador da curva de adoção.

Qualquer medição razoável mostrará resultados semelhantes. O ativo Bitcoin, provavelmente está passando para a maioria inicial, enquanto a rede Bitcoin está prestes a passar de inovadores a adotantes iniciais. Assim, sobrepondo os dois, o Bitcoin, em geral, ainda está no início de sua curva de adoção, provavelmente em algum ponto da fase de adoção inicial.

Para entender como chegamos a esse ponto na adoção geral, é importante reconhecer que as narrativas e o posicionamento em torno do Bitcoin estão em constante evolução. Em seu artigo, Visions of Bitcoin, Nic Carter e Hasu exploram as várias narrativas em torno do Bitcoin nos últimos 12 anos. Eles identificam sete grandes narrativas ideológicas que ocuparam posições de destaque para os Bitcoiners ao longo da história. Eles exploram como essas linhas de pensamento têm caracterizado os usuários de Bitcoin ao longo do tempo.

A evolução das narrativas sobre o Bitcoin

Nos primeiros estágios da adoção do Bitcoin, a prova de conceito do e-cash, o ouro digital (e-gold) resistente à censura e uma rede de pagamentos barata foram as narrativas dominantes entre os usuários. Nesta fase, os inovadores adotaram o Bitcoin. Conforme descrito acima, os inovadores querem ser os primeiros a experimentar uma nova ideia. Eles são tecnólogos e, portanto, não é preciso fazer muito para posicionar uma tecnologia inovadora para eles. Os inovadores o adotaram simplesmente porque estavam intrigados com a tecnologia.

À medida que o Bitcoin começou a se espalhar para os primeiros usuários, o posicionamento e as narrativas naturalmente começaram a mudar. Os primeiros usuários são uma espécie rara de visionários que têm o insight para combinar uma tecnologia emergente com uma oportunidade estratégica. Esses visionários impulsionam a inovação de alta tecnologia porque veem o potencial para uma mudança de ordem de magnitude. Conforme os primeiros usuários aderiram, as narrativas populares em torno do Bitcoin mudaram para o ouro digital resistente à censura, moeda de reserva para criptografia e um ativo financeiro não correlacionado. Os primeiros usuários viram o potencial do ativo Bitcoin e empurraram as narrativas para se concentrarem nesse caso de uso potencial. Essas crenças e narrativas dos primeiros usuários levaram o ativo Bitcoin desde o inovador até a fase dos primeiros usuários. Dada essa mudança narrativa, não é surpreendente que, nos últimos anos, a maioria dos usuários de Bitcoin tenha comprado Bitcoin como um ativo de investimento.

Uma pesquisa feita em 2017 pela LendEDU pergunta aos proprietários de Bitcoin: “Qual das opções a seguir melhor descreve o motivo pelo qual você investiu em Bitcoin?” 21,81% dos entrevistados responderam “Bitcoin é uma reserva de valor de longo prazo, como ouro ou prata.”. Uma  pesquisa de 2021 com proprietários de Bitcoin mostrou resultados semelhantes. A maioria dos que possuem Bitcoin diz que o possui pessoalmente “como um investimento de crescimento” (67%). Citado com menos frequência, 30% dizem que o possuem “para se proteger contra quedas de ativos tradicionais” e 29% dizem que o possuem “como uma reserva de valor”. Enquanto isso, para a rede Bitcoin, a pesquisa mostra que apenas 13% o comprou “como uma moeda para comprar bens e serviços”. Portanto, a adoção atual do Bitcoin em geral mostra que a maioria das pessoas está comprando Bitcoin como um ativo. E, como discutido anteriormente, quando comparada, a curva de adoção do ativo Bitcoin, está mais adiante (confortavelmente na fase de adoção inicial) do que a rede Bitcoin (provavelmente ainda na fase de inovação).

A atual posição e trajetória do Bitcoin em sua curva de adoção geral se deve principalmente à sua transição suave de inovadores para adotantes iniciais que adotaram o ativo e a narrativa de armazenamento de valor. Dado o ponto atual dessa curva de adoção geral, juntamente com a taxa projetada de adoção, está claro que, nos próximos 10 anos, o Bitcoin começará a mover-se dos primeiros adotantes para a maioria inicial.

(fim do 1° artigo do Michael Levi)

A Rede Lightning, o superpoder para o Bitcoin atravessar o abismo (parte 2)

Atravessando o Abismo

No início da década de 1990, Geoffrey Moore estudou a relação entre o florescente ecossistema de startups de tecnologia e a teoria da difusão de inovações. Em seu livro, Atravessando o Abismo (Crossing the Chasm), Moore postulou um pequeno, mas extremamente importante, ajuste à teoria da difusão das inovações. Ele formulou a hipótese de que entre os primeiros usuários e a maioria inicial existia uma lacuna enorme, o abismo, que qualquer tecnologia precisa superar para se tornar mainstream. Caso contrário, se um produto não pudesse cruzar o abismo, ele murcharia na estagnação de seu nicho de mercado e nunca alcançaria a adoção plena e convencional.

O Abismo existe devido às principais diferenças psicológicas e sociais entre os primeiros usuários e o resto da população. Os primeiros usuários são visionários em busca de mudanças revolucionárias. Eles veem um problema com o status quo e desejam ativamente adotar tecnologias para consertar isso. Eles estão dispostos a assumir grandes riscos para impulsionar uma mudança de ordem de magnitude. Por outro lado, os usuários da maioria inicial são pragmáticos e avessos ao risco que se concentram nos problemas do dia a dia que existem dentro de sua vertical específica. Eles estão procurando soluções incrementais e confiáveis de participantes estabelecidos. A maioria inicial não é influenciada pelos primeiros usuários. Consequentemente, o abismo …

Ilustração do Abismo entre os primeiros usuários e a maioria inicial

Moore passa o resto do livro delineando as principais estratégias necessárias para cruzar o abismo com eficácia. Para resumir brevemente, a chave para cruzar o abismo é o foco implacável em um segmento de mercado específico, uma cabeça de ponte. Moore diz: “Almeje um nicho de mercado específico como seu ponto de ataque e concentre todos os seus recursos em alcançar a posição de liderança dominante nesse segmento”. Nesse mercado-alvo, você precisa criar um “produto completo”. Um produto completo inclui o produto principal, mas também tudo o que você precisa para atingir seu forte motivo de compra. Isso pode incluir software adicional, hardware, integração de sistemas, instalação e depuração, treinamento e suporte, padrões e procedimentos, etc. A maioria inicial espera que um produto simplesmente funcione para seu caso de uso. Uma vez que uma posição de mercado dominante é alcançada neste segmento cabeça de ponte, o produto pode se expandir estrategicamente em mercados adjacentes usando os ganhos de reputação do segmento inicial para convencer outros membros da maioria inicial.

O Airbnb é um dos melhores exemplos de como atravessar o abismo com sucesso. Originalmente, o Airbnb começou como um serviço em que as pessoas reservavam acomodações de viagem apenas durante os momentos de maior movimento em uma cidade específica (ou seja, durante uma grande conferência). Mas, desde então, cresceu e se tornou uma das formas mais populares de reservar qualquer acomodação (viagem ou não). O Airbnb realizou essa façanha, em parte, concentrando-se em entregar um “produto completo” para seus primeiros hosts. Por exemplo, inicialmente, o crescimento foi lento em Nova York. Então, os fundadores foram lá para identificar o problema. Embora as acomodações fossem de acordo com os padrões, as fotos das acomodações eram terríveis. Então, eles contrataram fotógrafos profissionais para tirar fotos das acomodações. Essa decisão deu início ao crescimento da plataforma. A Airbnb não começou no negócio de fotografia, obviamente, mas para resolver as necessidades de seus primeiros usuários majoritários, ela criou um “produto completo” que incorporava um serviço de fotografia. Com decisões como essa, o Airbnb cruzou com sucesso o abismo para o mainstream.

Como o Bitcoin supera o Abismo?

Para o Bitcoin, em geral, a adoção inicial foi impulsionada principalmente pelo ativo Bitcoin. Dado o ponto atual na curva de adoção geral junto com a taxa projetada de adoção, está claro que nos próximos 10 anos, o Bitcoin começará a mover-se além dos primeiros adotantes em direção à maioria inicial. Para fazer isso, o Bitcoin terá que cruzar o abismo. A primeira maioria, como pragmáticos avessos ao risco focados nos problemas do dia-a-dia dentro de seus setores específicos, pode ter dificuldade em compreender a narrativa em torno do Bitcoin como puramente um ativo de investimento. A maioria inicial, ao perceber o Bitcoin como exclusivamente um ativo, não compreenderá como ele pode ajudá-los diretamente a resolver seus problemas verticais específicos do dia a dia. Portanto, com toda a probabilidade, para que o Bitcoin efetivamente cruze o abismo, alcance a maioria inicial e se torne mainstream, o posicionamento do Bitcoin precisará evoluir. Portanto, a questão pertinente é: como o Bitcoin cruzará o abismo para alcançar a maioria inicial?

Para responder a essa pergunta, vamos voltar para Moore, que diz que a chave para cruzar o abismo é o foco implacável em um segmento de mercado específico, uma cabeça de ponte. Concentre todos os recursos na construção de um produto completo para aquele segmento específico. Essa estratégia de cruzar o abismo não se encaixa perfeitamente com a maioria das narrativas existentes ou anteriores em torno do Bitcoin. Essas narrativas abrangem casos de uso gerais para amplas faixas da população. Por exemplo, a narrativa de uma rede de pagamentos barata é empolgante e interessante. Qualquer empresa poderia usar isso, certo? Bem, dado seu amplo escopo, qualquer empresa poderia usá-lo. Mas, dada a falta de um produto inteiro resolvendo de forma incremental um problema em um nicho específico que simplesmente funciona, nenhuma empresa o usará. Embora os primeiros usuários não se importem com narrativas gerais e casos de uso incompletos, a maioria inicial só vai adotar se houver casos de uso específicos que resolvam gradativamente seus problemas existentes.

O Superpoder do Bitcoin para cruzar o Abismo

Para que o Bitcoin cruze o abismo para a maioria inicial, ele precisará atender às necessidades exclusivas de públicos de nicho específicos que estão focados nos problemas do dia a dia de seus negócios. Esses públicos desejam soluções que facilitem significativamente suas vidas e lhes dêem mais tempo para se concentrar em suas propostas de valor essenciais. Se eles forem lançados sobre o Bitcoin exclusivamente como um ativo, com base em suas necessidades, eles podem não ser compelidos o suficiente para explorar e adotar. Mas, esses primeiros usuários da maioria podem ficar muito intrigados com as soluções potenciais habilitadas pela rede Bitcoin ou uma forma melhor de dinheiro.

Nos últimos anos, o Bitcoin desenvolveu uma superpotência nesta corrida para cruzar o abismo. A Rede Lightning (ou Lightning Network) ajudará a fazer a transição do Bitcoin dos primeiros adotantes que usam principalmente o ativo Bitcoin, para a maioria inicial que usará a rede Bitcoin.

Antes de nos aprofundarmos nessa afirmação, vamos diminuir o zoom rapidamente e definir a Lightning Network nos termos mais simples possíveis. A Lightning Network é uma camada de software que roda sobre o Bitcoin que permite transações instantâneas, de baixo custo e alto volume. A rede é baseada em uma tecnologia chamada canais de pagamento. Os canais de pagamento permitem que dois usuários de Bitcoin abram um canal com uma quantidade definida de Bitcoin entre eles. Em um canal de pagamento, esses dois usuários podem trocar pagamentos instantâneos, quase gratuitos, desde que a quantidade de Bitcoin no canal atenda às suas necessidades de pagamento bidirecional. A Lightning Network pega essa tecnologia e constrói uma rede de canais de pagamento de forma totalmente descentralizada e sem permissão. Essa rede de canais de pagamento permite que qualquer pessoa na rede pague outra pessoa na rede de forma instantânea e barata, mesmo que não haja um canal direto entre eles. Por exemplo, digamos que Alice queira pagar a Bob. Mas, Alice não tem um canal com Bob. No entanto, ela tem um canal com Carol, que por acaso tem um canal com Bob. Alice pode encaminhar o pagamento para Bob por meio de Carol. E, por causa da prova criptográfica e dos contratos inteligentes inerentes ao design da Lightning Network, essa transação pode ocorrer sem que Alice precise confiar em Carol.

[comentário do Explica Bitcoin: para duas explicações em vídeo sobre a Lightning Network clique aqui e aqui]

Também é importante destacar que a Lightning Network é uma camada de protocolo secundária, construída sobre o protocolo Bitcoin. O protocolo Bitcoin, impulsionado pela adoção dos primeiros usuários, tornou-se uma rede monetária descentralizada, global e sempre ativa de quase um trilhão de dólares. Portanto, a Lightning Network oferece a capacidade de transações instantâneas, baratas e sem a necessiadade de permissão com Bitcoin, um ativo monetário global de quase um trilhão de dólares. E a Lightning Network é totalmente de código aberto. Qualquer um pode contribuir para isso e qualquer um pode construir com ele. Finalmente, como Lyn Alden discutiu em seu artigo sobre os efeitos de rede do Bitcoin, a Lightning Network pode ter efeitos de rede ainda mais fortes do que a camada de base do Bitcoin. A principal restrição da Lightning Network é a liquidez. Ou seja, liquidez nos lugares certos com um número suficiente de canais exclusivos entre nós exclusivos. À medida que mais e mais liquidez é adicionada e mais canais são criados e mantidos, isso permitirá mais adoção, o que dá início a um ciclo virtuoso.

Então, a Lightning Network é a superpotência do Bitcoin cruzando o abismo. Ele dá aos desenvolvedores a capacidade de construir em uma pilha que fornece movimento instantâneo, barato e sem permissão de valor em qualquer lugar do mundo a qualquer momento. Com a Rede Lightning e empreendedores motivados, a rede Bitcoin revela o poder da engenhosidade humana e da opcionalidade em sua corrida para cruzar o abismo. A rede pode aproveitar o poder dos empreendedores para construir usos atraentes para segmentos de público de nicho, alavancando um dinheiro programável, global e nativo da Internet. Esses empreendedores poderão usar o protocolo de código aberto para resolver suas necessidades de roteamento de pagamentos e custos. Ele fornece infraestrutura de pagamento como serviço da mesma maneira que a AWS fornece infraestrutura de nuvem / hospedagem como serviço. Portanto, em vez de desperdiçar largura de banda valiosa resolvendo um problema geral difícil, os empreendedores podem se concentrar na construção de ferramentas úteis para seus públicos específicos. Com a Lightning Network, o Bitcoin obterá um número quase infinito de “chutes a gol” para construir produtos atraentes e casos de uso para a maioria dos primeiros.

O melhor exemplo histórico para demonstrar o poder da engenhosidade humana e opcionalidade em ajudar a cruzar o abismo vem dos smartphones. Em janeiro de 2005, a RIM (Blackberry) atingiu 2 milhões de assinantes, marcando um marco importante para a adoção de smartphones. No entanto, foi apenas o início da curva de adoção. Os assinantes da RIM foram os inovadores. Eles eram executivos de alto nível que precisavam consultar documentos e enviar e-mails em trânsito. Então, o primeiro iPhone foi lançado em 2007 com o primeiro telefone Android chegando um ano depois. Os primeiros usuários do iPhone e do Android foram os primeiros a adotá-lo. Eles viram o valor de poder ouvir música, fazer chamadas, assistir a vídeos e acessar a Internet em seus dispositivos móveis. Mas, os smartphones não alcançaram a maioria dos usuários até meados de 2010. Para chegar lá, os smartphones precisavam do lançamento da App / Play Store em 2008/09. Com esse lançamento, os desenvolvedores foram capazes de construir em uma stack que lhes deu uma interface de tela de toque, conexão com a Internet, dados de localização e muito mais. Com esse recurso, os desenvolvedores construíram inúmeras experiências notáveis ​​que os usuários queriam e, eventualmente, não poderiam viver sem. O ecossistema de aplicativos levou os smartphones através do abismo para a maioria inicial. A primeira maioria não precisava de um smartphone para enviar e-mails ou ouvir música como os inovadores ou os primeiros a adotar. Mas, eles precisavam de um jeito de voltar do bar para casa (Uber). Eles precisavam de instruções para chegar ao novo restaurante de sushi para encontrar os amigos (Mapas). Eles precisavam de uma maneira fácil de conversar com amigos que podem não morar no mesmo país (WhatsApp).

Curva de adoção dos smartphones

Usos potenciais da Rede Lightning

Então, o que os primeiros usuários da maioria precisarão da rede Bitcoin, uma rede monetária instantânea, barata, global e sempre ativa? Apenas nos últimos dois anos de desenvolvimento no Lightning, estamos começando a ver vislumbres de possíveis casos de uso e soluções iniciais que podem estar ao virar da esquina. Vou delinear apenas alguns deles abaixo. Existem muitos mais por aí agora. E, ainda mais por vir que ainda não foi concebido.

Remessas Internacionais

Quando alguém do país X deseja enviar dinheiro a um membro da família no país Y, isso é chamado de remessa internacional. Os pagamentos de remessas internacionais custam, em média, 6,5% do valor enviado, sendo que valores menores exigem, na verdade, uma taxa de percentual maior. Esses preços podem ser ainda mais altos em países com infraestrutura financeira menos formal, que muitas vezes são os locais que mais precisam de remessas devido a pressões inflacionárias e economias estagnadas. Mesmo com esse custo, as remessas internacionais podem levar de dias a uma semana para serem processadas. 

Na Lightning Network, a Strike construiu um produto que permite aos usuários enviar dinheiro instantaneamente, sem taxas, para qualquer lugar do mundo. Portanto, você pode retirar dólares de sua conta nos Estados Unidos e enviá-los diretamente para um usuário no Reino Unido que recebe o dinheiro em libras instantaneamente, sem taxas. Esta transação é possível porque o USD é instantaneamente convertido em BTC, enviado para o Reino Unido e instantaneamente convertido de volta para GBP.

Com este produto, a Strike resolve imediatamente um problema real para milhões de usuários. Isso é um fato, não uma hipótese. Nos últimos dois meses, a Strike foi lançada em El Salvador, o sexto país com melhor classificação em remessas de entrada dos Estados Unidos, onde 24% de todo o PIB do país é baseado em remessas. Após o lançamento do aplicativo da Strike, ele se tornou o aplicativo mais popular nº 1 do país depois de apenas 3 semanas. Esses usuários estão usando Bitcoin + Lightning, mesmo que não saibam disso.

Cartões de fidelidade e recompensas

As empresas de cartão de crédito usam pontos como um mecanismo de aquisição de usuários com a promessa de que quanto mais você gasta, mais pontos de recompensa você receberá, que podem ser usados para viagens, experiências e muito mais. No entanto, o segredinho sujo da indústria é que “seus” pontos correm o risco de inflação, desvalorização e, até mesmo, cancelamento.

É ai que entra o Fold. O Fold permite que os usuários ganhem cashbak em Bitcoin em todos os seus gastos. Em vez de acumular pontos de cartão de crédito transitórios, os usuários podem acumular dinheiro vivo a cada compra. Apenas nos últimos meses, o Fold processou mais de US $ 100 milhões em transações e distribuiu bilhões de satoshis para seus usuários. E, no futuro, eles vão lançar uma API Bitcoin Rewards para que outras empresas de cartão possam criar cartões de crédito que permitem aos usuários receber Bitcoin de volta em vez de pontos.

[Comentário do Explica Bitcoin: no Brasil a empresa Alter oferece cashback na forma de Bitcoin também]

Economia criadora: valor por valor

No mundo da tecnologia e do capital de risco, a economia criadora tem sido um setor aquecido há anos. Recentemente, Li Jin da Atelier Ventures, um líder de pensamento proeminente neste espaço, postou o seguinte, o que sugere que as plataformas impõem uma taxa flagrante sobre seus usuários mais valiosos, aqueles que criam o conteúdo.

Taxas que as plataformas cobram dos criadores de conteúdo

As plataformas são capazes de impor essas taxas por causa de seu monopólio sobre a atenção do usuário. Esse monopólio da atenção do usuário é conduzido em parte pelos criadores do conteúdo, mas também pelas necessidades do usuário em torno da descoberta de conteúdo e pela falta de vontade do usuário em pagar por um amplo acesso ao conteúdo. Conforme os criadores aumentam o número de seguidores nessas plataformas, eles estão cada vez mais encontrando maneiras melhores de monetizar esses usuários fora da plataforma por meio de ferramentas como Patreon ou Substack. Portanto, apesar de não estarem dispostos a pagar pela plataforma de descoberta inicial, uma vez que os fãs encontram seus criadores, eles estão dispostos a pagar pelo conteúdo desse criador específico. Dito isso, a descoberta de preços ainda está em andamento em relação ao que os fãs estão dispostos a pagar aos criadores por cada tipo de conteúdo.

Na Lightning Network, o Sphinx.chat construiu um produto que permite aos criadores receber micropagamentos quando eles conversam ou fazem um podcast para seus fãs. Para podcasts, os podcasters podem definir o custo de ouvir cada episódio em um determinado número de sats por minuto. Além disso, os usuários podem dar sats adicionais de gorjeta enquanto ouvem. Ao criar este produto com Bitcoin e Lightning, os pagamentos podem ser extremamente pequenos (micropagamentos não são possíveis no sistema financeiro atual). Assim, os usuários podem dar gorjetas com a granularidade que desejarem e os hosts podem definir um custo por escuta muito baixo. E os criadores podem aumentar seus seguidores pagos além de suas próprias fronteiras, pois não precisam gerenciar a conversão de moeda. À medida que o tamanho do público aumenta, o paywall de streaming via sats de gorjeta pode, na verdade, gerar receita significativa para os criadores. Os usuários e criadores podem construir um modelo de valor por valor em que os usuários paguem diretamente pelo conteúdo em si. Se esse modelo ganhar força entre os criadores, pode começar a quebrar o modelo de conteúdo da Internet existente em torno do monopólio da atenção do usuário e da dependência de anúncios para entregar valor aos criadores de conteúdo.

Micropagamentos como alternativa para os criadores de conteúdo

Gaming + Metaverse

Desde a invenção dos jogos digitais, os jogos tentam imitar o uso do dinheiro, criando tokens exclusivos que podem ser ganhos no jogo e trocados por produtos dentro do jogo. O jogo Roblox é um dos exemplos mais conhecidos de tal experiência. Os jogos criaram esses tokens como uma forma de recompensar os usuários e incentivá-los a adquirir status no jogo (roupas, ferramentas, armas etc.). Dessa forma, inúmeros jogos construíram essas economias “murada”. Mesmo que potencialmente gerasse mais engajamento, os jogos não são capazes de incorporar dinheiro real em sua experiência devido aos custos associados à transferência desse dinheiro entre jogadores e do jogo para os jogadores.

Na Lightning Network, a Zebedee construiu uma plataforma que permite aos desenvolvedores de jogos incorporar pagamentos reais via Bitcoin em sua experiência. Em vez de pontos sem valor fora do jardim murado de seus jogos, os desenvolvedores de jogos podem facilmente incorporar pagamentos em Bitcoin. Essa plataforma permite que os desenvolvedores adicionem uma aparência real em seus jogos, o que pode tornar a experiência muito mais envolvente para os usuários finais.

Transforme a sua pontuação no game em sats

Ganhando Sats

Stakwork é uma plataforma baseada em Lightning para microtarefas sem permissão. Através da plataforma, qualquer pessoa, em qualquer lugar, pode realizar pequenas tarefas e ser pagos em Bitcoin. Nos últimos 6 meses, os trabalhadores da Stakwork foram pagos por 3 milhões de tarefas realizadas, totalizando 171.000 pagamentos via Rede Lightning. Eles têm 20.000 trabalhadores integrados em lugares como Argentina, Nigéria, Gana, Turquia e Filipinas com uma lista de espera quase tão longa.

VPN em tempo real

Impervious construiu uma VPN dinâmico baseado na Rede Lightning, que está atualmente em estágio beta. Impervious gera túneis criptograficamente seguros que garantem que os dados permaneçam privados em repouso e durante o trânsito, ao mesmo tempo que protege a origem das transmissões de dados.

Bitcoin + Lightning Network = uma aposta na engenhosidade humana

Quando a App Store foi lançada, ninguém sabia imediatamente que Uber, Doordash, SnapChat e Instagram tornariam os smartphones insubstituíveis. Ninguém sabia quais experiências específicas teriam repercussão entre os usuários finais na primeira maioria. Mas, a Apple e o Android apostaram no poder da engenhosidade humana para descobrir casos de uso atraentes no topo dessa nova e poderosa pilha de tecnologia.

Nos encontramos em uma posição semelhante com o Bitcoin hoje. O ativo Bitcoin deu o pontapé inicial na curva de adoção do Bitcoin em geral. E assim, estamos nos aproximando rapidamente do momento de cruzar o abismo. A rede Bitcoin ajudará o Bitcoin a evoluir para resolver os problemas específicos da maioria dos primeiros usuários. A Lightning Network dá ao Bitcoin o superpoder de confiar na engenhosidade humana e nas opções para fazer isso. Ele permite que desenvolvedores e empreendedores construam no topo de uma rede global, sempre ativa e sem permissão de quase um trilhão de dólares para criar produtos atraentes para seus nichos. Quais serão esses produtos de sucesso? Ninguém sabe. Mas, estou apostando no Bitcoin + Lightning Network. Porque, neste ponto, isso é apenas uma aposta na engenhosidade humana.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: